A justiça francesa abriu uma investigação por estupro de menores contra Gérald Marie, ex-diretor da agência de modelos Elite na Europa. O processo foi lançado após acusações de ex-modelos e de uma jornalista da BBC, informou a Promotoria de Paris.

A Fashion Week de Paris começou nesta segunda-feira (28). Mas o assunto que está nos jornais do dia não é o que acontece nas passarelas, e sim um escândalo envolvendo os bastidores da indústria da moda datando dos anos 1980. Uma investigação por “estupro e agressão sexual” e “estupro e agressão sexual a menor” foi aberta contra um dos grandes nomes dos tempos áureos das top models.

Gérald Marie, de 70 anos, é atualmente diretor da agência Oui management. Mas antes disso, ele foi o chefe histórico para a Europa da agência Elite, a maior do mundo, criada em 1971 em Paris por John Casablancas e Alain Kittler, e que ficou conhecida por ter ter representado algumas das modelos mais famosas das passarelas, como Naomi Campbell, Claudia Schiffer ou Cindy Crawford.

O ex-diretor da agência, que foi casado com a top model Linda Evangelista, é alvo de três acusações, uma por agressão sexual e três por estupro. Uma das supostas vítimas é a ex-jornalista da BBC Lisa Brinkworth. Ela afirma que uma noite em outubro de 1998, Gérald Marie, com quem ela foi a uma boate, “sentou-se sobre ela” e “começou a colocar seu pênis na parte inferior de seu abdômen”.

A jornalista havia se infiltrado na indústria da moda como modelo para investigar a questão do “comportamento sexual impróprio de alguns agentes” para um documentário da BBC. Após a divulgação do filme, a Elite anunciou a demissão de dois de seus executivos, incluindo Marie. Mas ambos recuperaram seus cargos alguns dias depois e apresentaram uma denúncia por difamação contra a BBC e o jornalista estrela do programa em que foi divulgado, Donal MacIntyre.

Questionado sobre este escândalo em um programa da televisão francesa em 1999, Gérald Marie negou as acusações. As denúncias poderiam ter prescrito, mas Anne-Claire Lejeune, advogada da ex-jornalista, mencionou a existência de um acordo assinado então entre a BBC e Elite, após a denúncia por difamação, segundo o qual Brinkworth não falaria sobre a suposta agressão. Isso “deveria possibilitar a suspensão do prazo de prescrição”, disse a advogada.

Uma das supostas vítimas tinha 17 anos

Além da ex-jornalista, outras três ex-modelos o acusam de estupro em Paris. A americana Jill Dodd afirma ter sido estuprada por Marie em 1980, quando tinha 19 anos; outra americana, Carre Sutton, diz ter sofrido “inúmeros” estupros por parte do ex-chefe da Elite em 1986, quando tinha 17 anos; assim como a sueca Ebba Karlsson, nascida em 1969, que denuncia um estupro em 1990.

Segundo o G1, a AFP tentou, sem sucesso, entrar em contato com o advogado de Marie. Este último disse ao jornal Sunday Times no sábado que “nega categoricamente” as acusações.

“Espero que esta investigação permita que outras tenham a coragem de falar”, disse a advogada Anne-Claire Lejeune ao Repórteres sem Fronteiras. É um primeiro passo encorajador e um alívio para as vítimas”, acrescentou.

Caso Epstein abriu a porta para novas denúncias

O mundo da moda na França já foi abalado em 2019 pela investigação nos Estados Unidos sobre o famoso empresário Jeffrey Epstein, que morreu em julho de 2019 acusado de abusar sexualmente de dezenas de menores. Dentro deste caso, foi aberta uma investigação na França que deu início a uma convocação de depoimentos.

No centro da investigação está o francês Jean-Luc Brunel, fundador das agências de modelos Karin Models e MC2 Model Management, acusado de “estupro” e “agressão sexual”.

Foto: Pascal Guyot.

Comentários