“Enquanto eu for governador, OS não entra na PB”, diz João Azevêdo

O governador João Azevêdo declarou em entrevista ao programa Correio Debate nesta sexta-feira (24) que enquanto for governador a Paraíba não verá nunca mais a gestão da Saúde nas mãos de Organizações Sociais (OSs). O gestor reforçou que com a criação do PB Saúde, a população sentirá os benefícios de forma imediata. Segundo ele, haverá prorrogação por mais seis meses do vínculo do Estado com as Organizações Sociais na Educação.

Segundo o ClickPB, a decisão é para ganhar tempo para a realização de uma nova licitação que possibilitará a contratação de empresas que irão assumir a pasta. “O que vamos fazer é prorrogar por mais seis meses, já que terminava agora, para proceder a licitação de empresas fornecedores de mão de obra.

Vamos acabar com a relação poder público e OS’s. A partir de 22 de fevereiro não teremos”, disse. O estado mantém contratos para gestão da educação com duas Organizações Sociais: Ecos e InSaúde. Juntas elas receberam, entre 2017 e 2019 o total de R$ 46 milhões. Apenas no ano passado foram pagos R$ 13,86 milhões para que elas atuassem na administração de setores como alimentação e serviço gerais, além da contratação de pessoal como agentes escolar e de apoio, assistente escolar, cuidador de alunos e até eletricistas, motoristas e técnicos de informática.

O gestor ainda destaca que “a OS na Paraíba não funcionou então nós temos que ver uma forma melhor e será com o PB Saúde, que fará a gestão desses hospitais de forma. Então os benefícios para a população será visto imediatamente. OS não entra na PB enquanto eu for governador ‘, disse. Segundo ele, a fundação do estado será responsável por contratar os profissionais que prestaram os serviços. “Dentro desse sistema, a fundação poderá contratar profissionais para prestar serviços na saúde”, revelou.

Facebook Comments