O novo ministro da Educação, Milton Ribeiro, demitiu de uma só vez 4 assessores especiais da pasta. Os servidores estavam no MEC desde a gestão do ex-ministro Abraham Weintraub.

Segundo o msn, a portaria com as demissões (íntegra – 60 KB) foi publicada no Diário Oficial da União desta 2ª feira (27.jul.2020). O documento foi assinado por Victor Godoy Veiga, novo secretário-executivo do Ministério da Educação –2º cargo mais importante da pasta.

Foram demitidos os assessores especiais:

Auro Hadano Tanaka;

Eduardo André de Brito Celino;

Sérgio Henrique Cabral Santana;

Victor Sarfatis Metta.

Para o lugar deles, devem ser escolhidos nomes de confiança do novo ministro. O coronel Paulo Roberto, que fazia parte da gestão Weintraub, foi o único mantido no cargo.

Ribeiro é o 4º titular do MEC (Ministério da Educação) na gestão de Bolsonaro. Tomou posse em 16 de julho. Depois de ter sido diagnosticado com covid-19, em 20 de julho, e pneumonia, na última 6ª feira (24.jul.2020), faz despachos de casa, por videoconferência.

O novo ministro é doutor em Educação pela Universidade de São Paulo e Mestre em Direito Constitucional pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Ele também foi reitor dessa última. O pastor também foi 2º tentente da Infantaria do Exército.

Foto: Reprodução Google.

Comentários