Denúncias de violência contra a mulher poderão ser feitas por aplicativo

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, durante cerimônia de assinatura de acordo de cooperação técnica para estabelecimento de políticas públicas de combate à violência doméstica e familiar

Essa foi uma das ações anunciadas na coletiva do governo federal, dessa quinta-feira (2), pela ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, para ajudar a superar o período de crise; causada pela pandemia da Covid-19. O disque 100 de proteção às crianças, também vai integrar essas plataformas digitais. Segundo a ministra, está aumentando a violência contra a mulher, durante a quarentena. Ela citou o Rio de Janeiro, onde os registros aumentaram em 5%.

Para Damares, esse número é expressivo porque, no estado, é possível fazer o boletim de ocorrência on-line, o que não acontece na maior parte do país. Outra novidade apontada pela ministra é que, a partir desta quinta-feira, o site da ouvidoria do ministério ficará no ar 24 horas por dia. Damares Alves ainda mencionou os brasileiros que estão retidos no exterior, por causa da falta de vôos.

E relatou que eles estão recebendo apoio de instituições religiosas naqueles países, principalmente em Portugal. A ministra ainda alertou para os riscos de aumento de casos de acidentes domésticos, que costumam causar a morte de 2.000 crianças, por ano, no país.

Segundo a Agência Brasil, nesta sexta-feira (3), o ministério vai lançar uma cartilha de orientações sobre como evitar acidentes, principalmente envolvendo crianças e idosos. Damares Alves disse que o ministério vai olhar também para os povos tradicionais.

Os cerca de 1.200 ciganos que vivem no Brasil, serão orientados a manterem os acampamentos onde estão, durante a quarentena. E na semana que vem, o ministério vai anunciar ações para pessoas em situação de rua, com apoio do programa Pátria Voluntária.

Foto: Marcelo Camargo.