Comércio estima perder R$ 19,6 bi por acúmulo de feriados em 2020

LOJAS AMERICANAS DO SHOPPING IGUATEMI - ALEXANDRE BATTIBUGLI - 15/06/2012

Os nove feriados prolongados de 2020 deverão prejudicar o desempenho do comércio e causar um prejuízo de até R$ 19,6 bilhões, segundo estimativa da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) divulgada nesta sexta-feira (17).

Isso porque os feriados não apenas diminuem a atividade econômica para boa parte dos setores, como também elevam o custo da operação com pagamentos adicionais para os funcionários.

A perdas tendem a ser maiores que as de 2019, que teve um segundo semestre pobre em feriados para a maior parte da população, já que três datas comemorativas caíram aos sábados. O prejuízo chegou a R$ 17,4 bilhões.

Já em 2020, feriados ou datas com ponto facultativo se concentram às segundas, terças, quintas e sextas, permitindo a junção com os finais de semana.

Segundo a CNC, cada feriado reduz a rentabilidade mensal média do setor comercial como um todo em 8,4% (varejo e atacado). Entretanto, ramos de atividade em que a relação folha/faturamento é mais elevada sofrem um impacto maior.

Por outro lado, alguns setores específicos como o turismo podem se beneficiar da ocorrência de feriados.

Setores

Os segmentos de supermercados, lojas de utilidades domésticas e o ramo de vestuário e calçados respondem por mais da metade (56%) dos empregos no varejo. Não é por acaso, portanto, que são também os setores com maiores perdas estimadas para o ano por conta dos feriados (11,5%, 11,6% e 16,7%, respectivamente).

Regionalmente, os estados de São Paulo (R$ 5,62 bilhões), Minas Gerais (R$ 2,09 bilhões), Rio de Janeiro (R$ 2,06 bilhões) e Paraná (R$ 1,42 bilhão) tendem a concentrar mais da metade das perdas estimadas (57%).

News Paraíba com R7

Comentários