Pedreiro atropelado em ciclofaixa na Capital tem morte cerebral confirmada; família vai doar órgãos

O pedreiro Walmir Pedro de Brito, de 43 anos, teve a morte cerebral confirmada, na tarde desta quinta-feira (2), pela Secretaria de Estado da Saúde. Ele esteve internado no Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena desde quando foi atropelado, por volta das 6h de quarta-feira (1º), ao trafegar de bicicleta pela ciclofaixa em direção ao trabalho, no bairro de Quadramares, em João Pessoa. Os familiares confirmaram a doação de órgãos, como rins e fígado, para a Central de Transplantes da Paraíba.

A vítima sofreu lesões encefálicas graves (edema cerebral difuso, hemorragia subaracnóidea traumática, hipodensidade cerebral difusa) e evoluiu com coma aperceptivo. 

“A Central Estadual de Transplante (CET) da Paraíba presta solidariedade no momento de luto da família do paciente, tão trágico e doloroso; e explicita a importância da ‘família doadora’ em salvar outras vidas, e trazer esperança e vida a várias pessoas, num momento de profunda tristeza”, diz a nota encaminhada pela SES.

O Atropelamento

O pedreiro sofreu atropelamento por um veículo que vinha com um casal. Após o acidente, algumas testemunhas chegaram a informar que o homem estaria conduzindo o carro. Ele fez o teste de bafômetro apenas três horas depois, na Central de Polícia, e deu positivo. Mas, a sua esposa foi quem se apresentou como a condutora. Ela também realizou o exame de alcoolemia, mas, no entanto, deu negativo.

Um vídeo divulgado nesta quinta-feira, registrado em câmera de segurança que flagrou imagens do acidente, mostra a mulher deixando o veículo pelo lado do motorista por volta de 10 segundos após o atropelamento.

O caso está sob investigação pela Polícia Civil, por meio da Delegacia de Acidentes de Veículos de João Pessoa. Como não houve flagrante, o casal foi liberado após prestar depoimento e aguarda a conclusão do inquérito policial em liberdade.

News Paraíba com WSCOM

Comentários